Palpites

Sei que isso aqui tá meio parado, estou na maior correria. Mas só para não perder o tempo, vão os palpites pro fim de semana em Barcelona.

Para mim dá Button na pole e vitória, com Vettel em segundo e Barrichello em terceiro. Palpite torcida, porque sempre aposto em Barrichello e dá Button, quem sabe inverte rs.

E um extra: na GP2 dá Di Grassi, que leva o título este ano.

Anúncios

Palpites

Bom, falta pouco para o treino classificatório, então vamos lá. Seguindo o que eu falei na coluna, meu palpite para Xangai é:

Pole-position: Rubens Barrichello
1º: Rubens Barrichello
2º: Jenson Button
3º: Timo Glock

Para a etapa de Long Beach da Indy, meu palpite era:
Pole-position: Tony Kanaan
1º: Will Power
2º: Tony Kanaan
3º: Scott Dixon

Mas, com o Hélio voltando na vontade em que deve estar de mostrar serviço, quem sabe ele não apronta e aparece por aí?

E você? Qual o palpite?

Inocente!

O piloto da Indy, Hélio Castroneves, foi inocentado hoje dos seis crimes de evasão de divisas e sonegação de impostos dos quais ele e sua irmã Katiucia eram acusados, nos Estados Unidos. Seu ex-advogado, Alan Miller, também foi absolvido de quatro crimes. Os jurados, no entanto, não decidiram sobre o crime de conspiração e um novo julgamento pode ser marcado.

O júri estava reunido desde a última sexta-feira e durante toda a semana mostrou ter problemas para conseguir entender o processo. A defesa de Castroneves chegou a tentar anular o julgamento, sem sucesso.

No final, parece ter sido bom para o piloto esta falta de entendimento. Dizia eu durante a semana que uma hora algum dos jurados chamaria os outros e diria “se nem nós, americanos, entendemos esta merda, imagine um brasileiro, vamos absolver ele logo”.

Hélio está liberado para correr já neste fim de semana, no GP de Long Beach, segunda etapa da Indy. Ele voltará ao seu Penske # 3, com Will Power sendo movido para um terceiro carro da equipe.

É difícil dizer se a justiça foi feita. Nem eu, nem você, nem ninguém estavámos lá para saber se ele sonegou, desviou, fraudou, conspirou ou não contra o governo americano. Sabemos que o fisco americano é seriíssimo e que lá, sobrenome famoso não livra da cadeia, o que nos faz imaginar que o piloto deve mesmo ser inocente. Tomara que sim.

Enfim, que ele volte a representar o Brasil da forma pela a qual ele se preparou a vida inteira: nas pistas.

E para quem quiser acompanhar esta volta de Castroneves às corridas, a etapa de Long Beach da IndyCar será realizada no domingo, com VT da Band às 19h30.

P.S.: Este texto estava pronto faz tempo, mas a anta do blogueiro salvou como rascunho, ao invés de publicar.

Desculpas

Este blogueiro idiota cometeu um erro no último sábado. Anunciei a corrida da Indy Lights para as 16h, quando na verdade, foi bem antes. E, para minha total falta de sorte, sábado foi um dos dias de maior visitação deste espaço. Para vocês que perderam a corrida por minha causa, peço desculpas.

E também peço desculpas a quem queria ler um relato da prova, já que eu errei o horário e não só publiquei errado, como não assisti.

Amanhã, assim que houver tempo, tento escrever sobre a (chatinha) prova da Indy.

Kimi e o sorvete

Para quem não viu a cena do Räikkönen que eu citei abaixo, está no YouTube. Corram antes que a FIA bloqueie o acesso.

http://www.youtube.com/watch?v=XwsjQF8pCec

Corrida maluca

Alguém aí se lembra daquele desenhinho da Hanna-Barbera, que tinha uma caçambada de pilotos trocando de posição o tempo todo, a liderança mudando toda a hora, mas o vencedor só era definido no finalzinho?

Tirando a história do ganhador aparcer no fim (e a ausência de Penélope Charmosa), o GP da Malásia pareceu, e muito, com a tal animação. Mas não, isso não é uma crítica. É apenas uma comparação para, se você acordou tarde e perdeu, ver que a prova foi movimentadíssima.

Muitas disputas, desde a largada e mesmo antes da chuva torrencial cair. Carros mais leves vindo do fundo, carros ruins que conseguiram uma boa largada. Os KERS, os não-KERS. A corrida vinha sendo sensacional. Até a água cair. Porque caiu feio.

No início até dava para controlar, Glock, inclusive, era o mais rápido na pista com pneus intermediários, quando todos estavam calçados para chuva plena. Só que pouco depois o mundo caiu, os carros começaram a deslizar na pista e resolveram colocar o Safety Car na pista. Que não conseguiu sequer alinhar o pessoal antes da bandeira vermelha.

Foram cerca de 40 minutos para tentar realinhar os carros no grid. Só parece que se esqueceram que Bernie Ecclestone teve a idéia idiota de marcar a prova para às 17h locais. Até haver tempo de a água baixar, o dia teria acabado.

[

Esse risco já havia sido corrido nas últimas duas provas. O GP da Austrália deste ano e o GP do Brasil do ano passado. Por aqui a prova foi atrasada em uma hora, terminou às 17h. Só que com a chuva que caía, a visibilidade ficou extremamente prejudicada. Para quem não acredita, é só procurar qualquer foto do pódio, que teve que ser feito com luz artificial.

]

Assim, a prova foi encerrada, depois de quase todos os pilotos se posicionarem contra sua continuidade. Kimi Räikkönen que o diga. Enquanto todos os pilotos aguardavam a decisão da FIA no carro, no pitwall ou em outro canto da pista, o ferrarista foi flagrado pela transmissão de bermuda, camiseta, tomando um sorvete e buscando um refrigerante (duro de acreditar, hein?) na geladeira. Sabe das coisas esse finlandês.

Péssimo para Rubens Barrichello que, na atualidade, é um dos melhores, senão o melhor piloto em condição de chuva. O brasileiro estava na quinta posição e, em caso de uma relargada, com todos os carros bem próximos, poderia lutar pela vitória.

De qualquer forma, Jenson Button ficou com a segunda vitória consecutiva – terceira na carreira – e teve a companhia dos alemães Nick Heidfeld e Timo Glock no pódio.

No entanto, como não foram completados 75% da prova, apenas metade dos pontos serão concedidos aos pilotos. Em tempo, Felipe Massa ficou na nona posição e Nelsinho Piquet, na 13ª.

A classificação do GP da Malásia ficou assim (os números mostram os pontos conquistados):

1º Jenson Button – Brawn GP – 5
2º Nick Heidfeld – BMW – 4
3º Timo Glock – Toyota – 3
4º Jarno Trulli – Toyota – 2,5
5º Rubens Barrichello – Brawn GP – 2
6º Mark Webber – Red Bull Racing – 1,5
7º Lewis Hamilton – McLaren – 1
8º Nico Rosberg – Williams – 0,5

Button lidera o campeonato com 15 pontos, seguido por Barrichello, com 10. Jarno Trulli é o terceiro, com 8,5, meio ponto à frente de seu companheiro Timo Glock.

E para terminar com a corrida maluca, como sempre, Dick Vigarista ficou em uma posição intermediária. Entendam como quiserem.

Palpites e torcida – GP de St. Petersburg

No Alpha Autos desta semana, além do palpite para a prova de F1, coloquei também o que imaginava que iria acontecer na etapa de St. Petersburg da Indy. Por pura distração, esqueci de reproduzir aqui. Previa eu:

Pole: Will Power – Penske
1º: Robert Doornbos – Newmann/Haas/Lanigan
2º: Will Power – Penske
3º: Scott Dixon – Chip Ganassi

Bom, o grid de largada já foi definido e eu me dei meio mal. A pole ficou com Graham Rahal, da Newmann/Haas/Lanigan. Doornbos, seu companheiro de equipe e em quem eu apostei na vitória, larga apenas em 13º. Power, substituto de Castroneves na Penske, sai em sexto e Dixon em 8º.

Dentre os brasileiros, Tony Kanaan larga na terceira posição, Raphael Matos em nono, Vitor Meira em 17º e Mario Moraes em 20º. Ficou meio difícil para eu acertar, mas se tratando da Indy e suas bandeiras amarelas, sempre há chance. Aproveitando, responda: para quem você torce na Indy?


Anúncios